jusbrasil.com.br
25 de Setembro de 2021
    Adicione tópicos

    STJ altera tese sobre possibilidade de renunciar ao valor que excede sessenta salários-mínimos para litigar no Jesp Federal

    Guilherme Leroy, Advogado
    Publicado por Guilherme Leroy
    há 3 meses

    A Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao julgar os Embargos de Declaração no Recurso Especial nº 1.807.665, alterou a tese fixada no julgamento do Tema 1.030 de recursos repetitivos, segundo a qual é permitido que a parte renuncie ao valor excedente ao teto do juizado especial federal cível, de modo que se mantenha a competência deste.

    Dessa forma, restou firmado que “Ao autor que deseje litigar no âmbito de juizado especial federal cível, é lícito renunciar, de modo expresso e para fins de atribuição de valor à causa, ao montante que exceda os 60 salários-mínimos previstos no artigo , caput, da Lei 10.259/2001, aí incluídas, sendo o caso, até 12 prestações vincendas, nos termos do artigo , parágrafo 2º, da referida lei, combinado com o artigo 292, parágrafos 1º e 2º, do Código de Processo Civil de 2015”.

    A alteração consiste na inclusão do último trecho, que condiciona a possibilidade de renúncia apenas às parcelas vincendas que configurem anuidade, ao invés de se renunciar a todo o montante vincendo em excesso. O ministro Og Fernandes, que propôs a nova redação, ressaltou que não haveria inovação do julgamento, visto que esse entendimento já constava no voto do relator do recurso repetitivo.

    No caso em questão, trata-se de recurso especial interposto pela União, que pleiteou o reconhecimento da impossibilidade de renúncia dos valores para litigar nos juizados especiais. Caso fosse indeferido o pedido, requereu que a parte fosse compelida a renunciar a todo o montante excedente para demandar nos Jesp federais.

    O ministro Og Fernandes seguiu o entendimento do TRF-4 quanto ao limite de 12 parcelas vincendas do valor em excesso, negando provimento ao recurso especial. Destacou, ainda, que a procedência do pedido subsidiário da União ensejaria reformatio in pejus. Isso porque a situação do segurado seria piorada em face da decisão do tribunal de origem.


    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)